O surgimento da pandemia de Covid-19 provocou uma transformação em diversos setores econômicos, sociais e, até mesmo, na educação. Quem não estava acostumado com o ensino a distância teve que buscar conhecimento tanto para dar as aulas quanto para aprender, conforme o conceito de educação remota.

No entanto, nem todas as instituições estavam preparadas para isso e tiveram que buscar ferramentas para superarem as adversidades. Logo, enfrentaram mudanças para se adequar às novidades e garantir um aprendizado de qualidade a todos. Contudo, ainda existem dúvidas sobre o ensino híbrido, remoto e outros. Por isso, trouxemos suas diferenças e tecnologias empregadas para te esclarecer sobre o assunto.

O que é educação remota?

educação remota são os conteúdos produzidos e ofertados on-line. São também as aulas virtuais, quando realizadas em tempo real pelo professor de cada disciplina em determinados horários e dias.

Inicialmente, foi adotada como medida emergencial para evitar atraso do ano escolar de crianças, adolescentes e universitários. Assim, diretoria, coordenadores e professores criam materiais para que haja o aprendizado eficiente dos estudantes nas salas digitais e fora delas.

Entre as alternativas estão o uso de meios virtuais e tecnologias voltadas para a aprendizagem a distância. Desse modo, a metodologia das atividades é dividida em assíncronas e síncronas. Confira!

Atividades assíncronas

As atividades assíncronas são empregadas na educação remota e nas aulas a distância quando estudantes e docentes não precisam estar na plataforma no mesmo instante. Assim, alunos podem acessar o conteúdo quantas vezes quiserem, de qualquer lugar e hora para concluir as tarefas. Afinal, as vídeos-aulas se encontram gravadas e hospedadas em sistema de transmissões.

Além disso, é permitido que outras atividades façam parte do material para complementar a aprendizagem. Entre elas estão fórum de discussão, e-mail para tirar dúvidas, slidese-booksblogs e sites. Isso traz liberdade e flexibilidade, tanto para os discentes quanto docentes.

Essa autonomia exige comprometimento dos jovens porque serão eles que controlarão a rotina de estudos. Dessa maneira, os professores podem avaliar seus conhecimentos após a matéria dada e estudada. Sobretudo, você pode utilizar ferramentas assíncronas para complementar as aulas, como as citadas a seguir.

Fórum ou lista de discussão

Tanto o fórum quanto as listas de discussão facilitam os debates de temas diversos, já que cada grupo seleciona um assunto para ser abordado. Essas mensagens postadas ficam guardadas em um banco de dados para serem acessadas e respondidas quando for possível.

Aliás, tem como organizar as listas separando por conteúdo. São ferramentas indicadas para tirar dúvidas dos estudantes, compartilhar conhecimentos e engajar com os participantes.

E-mail

São raras as pessoas que não têm um e-mail. Esse recurso de comunicação é pessoal e pode ser respondido no momento mais conveniente.

Logo, tutores e alunos conseguem transferir arquivos, fazer perguntas e dar respostas mais completas sobre uma temática específica. Também, é possível passar alguma informação para várias pessoas ao mesmo tempo.

Blog

blog lembra um fórum e tem o intuito de transmitir a mensagem por meio de vídeos, áudios, textos, links, dicas de leituras, infográficos etc. Geralmente, tem espaço para comentários, em que as pessoas deixam suas opiniões ou tiram dúvidas.

Atividades síncronas

As atividades síncronas necessitam de uma interação instantânea e ao vivo entre o professor e os alunos nas salas virtuais de conferência, nos chats simultâneos ou nas ligações de voz. Dessa maneira, é possível fazer o acompanhamento e dar explicações referentes a dúvidas, conforme vão desenvolvendo as tarefas.

Essa modalidade mostra o comprometimento com o curso e a concentração deles nas aulas. Isso aumenta o engajamento da classe e, para te ajudar, veja algumas ferramentas.

Webconfererências

As webconferências ocorrem com horário marcado e são transmitidas on-line. Com isso, o aluno recebe um link para acessar um portal e assistir à aula em tempo real. Ela pode ser realizada em videoconferência, audioconferência ou teleconferência. Inclusive, se desejar, é gravada para que ele assista novamente.

Chats

Os chats são utilizados para troca de mensagens instantâneas, aumentando a interação dos estudantes com os professores. Entretanto, todos devem estar on-line para que acessem o material disponibilizado após a aula.

Quando surgiu a educação remota?

Você pode nem imaginar, mas a história do ensino a distância surgiu em 1904, quando o Jornal do Brasil promoveu um curso de datilografia por correspondência. Isso, incentivou que outras aulas de diversos segmentos seguissem a ideia e se tornou um sucesso no século XX.

Depois disso, com o crescimento econômico e tecnológico, o mundo foi sendo industrializado e, em 1920, as emissoras de rádio começaram a transmitir cursos. Nesse sentido, após a década de 60, as emissoras de televisão trouxeram programações com fins educativos, como a TV Escola, Telecurso 2000 e outros.

Assim, quem não teve oportunidade de estudar no ensino regular, encontrou neles um caminho. Por conseguinte, o processo de evolução chegou à educação remota, que é utilizada em alguns cursos.

Todavia, com a pandemia, foi preciso se adiantar em todo âmbito educacional. Desse modo, ela consegue transmitir conhecimento para mais pessoas, gerando facilidade e interatividade dos alunos com as informações.

Quais são as tecnologias voltadas para a aprendizagem a distância?

Para a educação remota, é necessário fazer atividades síncronas e assíncronas, utilizar recursos midiáticos, ferramentas e plataformas. Entretanto, há diferentes possibilidades, como as que serão apresentadas a seguir.

Projeto digital

Criar um projeto digital permite desenvolver uma plataforma que tem a finalidade de proporcionar o acesso a conteúdos, tarefas, fóruns de discussão e dinâmica colaborativa. Tudo em um ambiente virtual, com diversas ferramentas para professores e alunos. Nela, você gerencia, mede e acompanha o aprendizado dos alunos, por meio dos conceitos:

  • blended learning: plataforma em que o aluno acessa os conteúdos de seu curso de maneiras diferentes. Ou seja, por aplicativos e redes sociais, combinados às atividades e situações presenciais realizadas na escola;
  • flipped classroom: sistema em que o professor disponibiliza conteúdos específicos para que os jovens estudem antes das aulas presenciais. Aqui, eles resolvem desafios, desenvolvem questões e problemas, porém, o docente é só um mediador;
  • game based learning: nesse método, os aprendizes têm acesso a uma grande quantidade de jogos educacionais para reforçar as matérias e habilidades aprendidas de forma lúdica, desafiadora e divertida.

Conteúdo no app

Com a plataforma AZ de aprendizagem as informações se conectam. Afinal, são mais de 45 mil videoaulas, 160 mil exercícios comentados e correções de redação direcionados ao Enem. Ainda, simulados e uma infinita trilha de aprendizagem personalizada para todos os níveis da educação.

Biblioteca virtual

Disponibilizar uma biblioteca virtual é interessante para que eles façam consultas dos materiais que apoiam as aulas. Assim, os professores informam as obras que deverão ler para aumentar o conhecimento.

Suporte aos alunos

O suporte aos alunos é primordial para ter um canal de comunicação direto entre aprendizes e docentes. Para isso, é preciso uma plataforma de comunicação escolar que permita aos estudantes estar conectados em um só lugar. Logo, as respostas para as dúvidas são respondidas mais rapidamente.

Conteúdo multimídia

Os conteúdos multimídia são os textos, infográficos, áudios, vídeos, quizzes e outros. Todos devem ser pensados e elaborados para que os jovens aprendam as disciplinas com diferentes técnicas de educação. Nesse método, é indicado abusar das tecnologias digitais e da criatividade para criar os materiais e disponibilizá-los na plataforma.

Streaming

Desenvolver um streaming com vídeo e áudio na rede, sem que eles precisem de download para ser vistos. Isso agiliza o processo e o acesso on-line. Inclusive, as informações podem ser passadas ao vivo para maior interação das pessoas.

E-mail

Essa ferramenta não é mais novidade, mas é aconselhável que a use para que os estudantes entrem em contato com o professor para resolver problemas ou tirar alguma dúvida. Também, utilize como um meio para dar avisos, enviar relatórios periódicos e dados sobre o curso ou a turma.

Inteligência Artificial

A inteligência Artificial está ganhando cada vez mais espaço. Na educação, já se consegue programar robôs que interajam com os estudantes via app ou site. Para isso, use chatbots de Inteligência Artificial com tecnologia do machine learning para responder estímulos pré-determinados e desenvolver o aprendizado com eles.

Fórum de discussão

Esse é um espaço comum aos docentes e alunos para promover discussões sobre os temas abordados em aula. No fórum de discussão, os participantes fazem publicações de mensagens, respostas sobre o tema e menção aos usuários, como se estivessem conversando presencialmente. Suas vantagens são:

  • diminui a distância entre estudantes e professores;
  • tira dúvidas com mais rapidez;
  • mantém a classe alinhada com o conteúdo dado;
  • complementa informações trazidas na aula;
  • torna o ambiente virtual de aprendizagem mais interativo.

Gestão de performance

Por um dashboard de performance acadêmico, os discentes têm acesso aos boletins com dados das notas, evolução do seu aprendizado, exercícios e estatísticas. Dessa maneira, ele consegue fazer o próprio acompanhamento para saber os pontos que precisa aprimorar.

Com a tecnologia, é possível resolver os problemas por meio da aplicação prática em áreas de pesquisa. Isso aprimora o ensino e auxilia o desenvolvimento socioeducativo e o acesso ao conhecimento.

Aliás, pela integratividade dos alunos, as atividades são feitas em grupo para que todos mostrem o que sabem e suas experiências. Dessa maneira, poderão se sentir como parte do processo.

Soluções digitais da Conexia

A Conexia LEX oferece uma estrutura completa que faz a integração de todas as soluções educacionais da Conexia Educação para a escola e seus alunos intuitivamente. Com ela, o usuário interliga os aplicativos e dados cadastrais da instituição para que possa ser acessado com um único login e senha.

Assim, em seu dashboard relacionará os estudantes por turma, com seus perfil etc. Também conta com relatórios inteligentes para acompanhar os dados de desempenho pedagógico e engajamento nas plataformas.

Lex Aulas ao Vivo

A Conexia Educação firmou uma parceria com a plataforma Zoom para oferecer uma solução inovadora às escolas parceiras, que possibilita novas abordagens nas aulas ao vivo, com mais autonomia, segurança, facilidade e interação para alunos e professores.

Essa ferramenta é totalmente integrada à Conexia LEX, garantindo mais praticidade no agendamento e na comunicação das aulas. Além de permitir atividades embasadas em metodologias ativas, tanto no cenário presencial, quanto no on-line e até em aulas híbridas, conciliando alunos em sala e em casa.

Educacross

Educacross é uma plataforma on-line, gamificada e adaptativa, projetada para oferecer um ambiente divertido e eficiente para a consolidação da língua inglesa, por meio da abordagem CLIL voltada a atividades lógico-matemáticas. Acessível a qualquer hora e em qualquer lugar.

Ela é voltada para a educação infantil e fundamental I com a jornada lúdica e gamificada de aprendizagem para que os alunos fiquem engajados e motivados. O Educacross segue o processo de gestão alinhado à Base Nacional Comum Curricular. Por meio da plataforma, os pais monitoram o desempenho dos filhos, os alunos realizam um aprendizado por inteligência artificial com jogos e interatividade, os professores criam os roteiros, fazem acompanhamentos e avaliações.

Ubbu

A plataforma UBBU é uma solução pronta para integrar a ciência da computação à grade curricular da escola, estimulando os alunos a passarem de usuários para produtores de tecnologia. Qualquer professor é capaz de conduzir as aulas!

O intuito é facilitar o ensino das matérias através da plataforma que usa a ciências, tecnologia, engenharia, artes e matemáticas para interligar conhecimentos e metodologias.

Qual o conceito de educação híbrida?

Diante das diferentes formas de tecnologias, as crianças têm acesso e sabem utilizá-las cada vez mais cedo, tanto smartphone quanto notebook, computadores e outros. Pensando nisso, o ensino híbrido é um pouco diferente do remoto, pois ele une o aprendizado on-line com o presencial.

Na verdade, é importante agregar às aulas presenciais ou não as ferramentas virtuais, com a finalidade de potencializar o aprendizado desses jovens. Uma de suas vantagens é a captação de ações positivas em cada ambiente para melhorar a experiência dos alunos. Para isso, é essencial avaliar a organização das salas de aula, o planejamento pedagógico, as técnicas implementadas etc.

Como usar ferramentas de aprendizagem digital?

Os novos métodos de ensino oportunizam mais autonomia aos alunos, porém, deve-se ter um ambiente virtual híbrido para que eles tomem suas decisões sobre o estudo. Por isso, utilize algumas das ferramentas abaixo.

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida consiste em estudar a teoria de uma disciplina em casa no ambiente virtual. Depois, nas aulas são feitas discussões, dinâmicas de grupo e demais atividades no ambiente da escola. Como ele já estudou antes, seu desempenho será melhor, pois eles já têm um conhecimento prévio, isso provoca maior interação entre alunos e docente.

Rotação de laboratório

A rotação de laboratório divide a sala de aula em dois grupos. Um fica responsável pelas tarefas on-line e o outro pelas off-line. Em seguida, as equipes são invertidas. Esse método é muito usado em informática e ciências.

Rotação por estações

No método rotação por estações, a sala é separada em várias épocas, que terão tarefas independentes das demais. Todavia, pelo menos uma tem que usar ferramentas digitais para conseguir executá-las. Dessa forma, os estudantes vão trocando de atividades, passando por todas elas.

Rotação individual

Nesse quesito, é feito um roteiro pelos professores para cada aluno, com objetivo de ele passar por todas as estações para suprir as necessidades e dificuldades existentes. Afinal, o ensino híbrido visa a potencializar o aprendizado.

Como inserir o ensino híbrido na escola?

Primeiramente, é necessário ter um planejamento de aula consistente e objetivo. Logo, deverá escolher o tipo de metodologia que desenvolverá aos estudantes e que os farão absorverem mais facilmente os ensinamentos.

Uma dica é a aprendizagem baseada em problemas. Nela, o professor propõe um desafio e os jovens terão que fazer pesquisa e terem raciocínio lógico para resolverem a questão. Usualmente, essa técnica é subdividida no começo da atividade.

Dessa forma, os aprendizes listarão os seus conhecimentos sobre o assunto por escrito para apresentar a solução. Consequentemente, eles tentarão decifrar, na tentativa de acerto e erro.

Entretanto, para fazer essas ações, é necessário fazer entrevistas com profissionais, leitura de textos, pesquisas, materiais e outros. Ao mesmo tempo, é viável incluir recursos digitais para estimular autonomia, criatividade, colaboração e empatia no conhecimento. Sendo assim, siga os oito passos abaixo.

Conheça

Aprenda e entenda os recursos e sistemas que podem ser implementados no planejamento e currículo. Exemplificando: o Google Drive ou uma plataforma da escola que seja gerenciadora e permita que os alunos visualizem em tempo real, comentem e participem da elaboração dos conteúdos. Ainda, que os professores acrescentem ferramentas de pesquisas, criação de textos multimodais, avaliações etc.

Explore

A tecnologia viabiliza inúmeras práticas pedagógicas e explora muitas habilidades e competências. Logo, solicite que os alunos produzam imagens, vlogspodcasts e tantos outros, de modo que todos possam acessar por celular, mesmo off-line. Esses recursos enriquecem as aulas e proporcionam novas vivências a eles.

Planeje

Coloque o conhecimento adquirido dos jovens em experimento para que eles percam a passividade e demonstrem o que foi aprendido. Assim, desenvolva um espaço maker e colaborativo na sala de aula para a turma inventar, criar e usar as ferramentas para solucionar os problemas.

Insira

Para ampliar as competências e habilidades da turma, realize atividades nas redes sociais, levando o conhecimento para fora da classe. Desse modo, torne o ensino mais personalizado, empregando Blogger, Twitter, Instagram, ou seja, plataformas que trazem interação, personalização e uma relação de diálogo.

Incentive

Aproveite as ferramentas de pesquisas motivando as crianças e adolescentes a buscarem orientações de símbolos, palavras-chave, bibliografias, sites etc. Mostre como encontrar informações confiáveis e que são úteis para o aprendizado deles.

Crie

Ensine como produzir trabalhos, participando de programas autorais e colaborativos, como Movie Maker e Gimp, para edição de imagens, e Audacity, como editor de áudio. Ambos oferecem diversas funcionalidades e são gratuitos.

Compartilhe

Motive os alunos a produzir seus textos, vídeos, podcast e demais formatos de conteúdos, e compartilhe com os colegas. Essa é uma oportunidade para trocar informações sobre crédito, referências de autores, fontes de pesquisa, conclusões dos trabalhos e muitos outros.

Pudemos observar que a educação do futuro passa, fundamentalmente, pela adoção de tecnologias. Nesse processo de mudança, surgem muitas dúvidas, por isso, apresentamos este artigo.

Desse modo, gestores, educadores, alunos e familiares devem procurar os recursos necessários para utilizar a educação remota. Principalmente, neste período de pandemia de Covid-19, é preciso superar os desafios e encontrar alternativas para proporcionar uma aprendizagem eficiente.

Afinal, a educação remota tem mais personalização e individualidade em relação a educação a distância. Por esses motivos, tem sido a mais adotada por escolas porque promove um relacionamento entre professores e alunos.

Com isso, os docentes devem estar apoiados à ferramentas e atividades para transmitir os conteúdos de maneira leve, divertida e lúdica. Assim, seguindo essas dicas, terão muitas possibilidades para praticar e até se divertirem com os alunos. Entretanto, nunca se esqueça de inserir os pais em todo processo, pois são peças fundamentais na aprendizagem das crianças e no vínculo tanto familiar quanto escolar.

Por isso, se quiser saber mais sobre esse assunto e outros sistemas de aprendizagem aproveite para seguir nossas páginas no FacebookYouTubeInstagram e LinkedIn. Além disso, saiba mais sobre tendências da educação. Então, vá até as redes sociais e curta cada uma delas.

Guia prático de como se preparar para o período de matrícula