Nos últimos anos, cresceram os holofotes sobre o impacto da transformação digital na educação. Boa parte das instituições de ensino aliou suas atividades às plataformas digitais e isso permitiu que os alunos desenvolvessem novas relações de aprendizado. Agora, o mundo digital é a bola da vez e novos modelos de aprendizagem fazem sucesso.

Dentre eles, a educação híbrida. Embora não seja uma novidade dos tempos atuais, a modalidade corresponde às demandas da educação no pós-pandemia. Além disso, por conta dos seus benefícios, especialistas enxergam a educação híbrida não apenas como uma resposta circunstancial, mas como um modelo a ser adotado de forma permanente.

Diante de tantas possibilidades, queremos ajudar você a entender melhor como a educação híbrida pode contribuir para os estágios da formação dos seus alunos. Tem interesse? Continue a leitura e tire suas dúvidas sobre esse assunto!

O que é a educação híbrida?

A educação híbrida mescla características da educação on-line e off-line. Assim, o aluno desenvolve o aprendizado por meio dos componentes digitais e de atividades na sala de aula física.

No geral, o funcionamento da educação híbrida é simples. Contudo, não existe uma fórmula para que essa mediação entre as soluções educacionais online e o offline aconteça em todas as escolas. Na verdade, cabe a cada instituição de ensino fazer discussões internas para entender como esse formato pode se adaptar ao seu contexto específico.

Existem uma série de metodologias que podem ser colocadas em prática na educação híbrida. Conheça alguns exemplos a seguir.

  • sala de aula invertida: metodologia que se baseia em duas fases. Na primeira, os alunos absorvem todo o conteúdo teórico no formato a distância, usando a infraestrutura digital oferecida pela instituição. Na segunda fase, os alunos se encontram na sala de aula física para tirar dúvidas e trabalhar em grupo;
  • rotação por estação: metodologia que usa a educação on-line e off-line na sala de aula. Os professores criam uma sequência de atividades, cada uma diferente da aula, para abordar os assuntos. As atividades são chamadas de estações;
  • rotação de laboratório: uma turma é dividida entre os alunos que ficarão a distância e aqueles que realizarão as atividades no formato presencial. Os professores definem um período para que esses grupos invertam de ambiente de aprendizado. Normalmente, são usadas salas de computadores, laboratórios e outras instalações para aumentar o engajamento dos alunos;
  • rotação individual: nessa metodologia, os professores criam planos de estudos personalizados para cada aluno, com experiências na sala de aula tradicional e o contato com formas de aprendizado no ambiente digital.

O desenvolvimento dessas metodologias demonstra que não basta só inserir ferramentas digitais nas práticas de ensino presencial. Por exemplo, não é educação híbrida usar recursos como a sala de aula virtual para enviar comunicados às turmas, mas manter todas as atividades da escola presenciais.

Para se configurar como educação híbrida, é preciso que aconteça uma constante intermediação entre a educação desenvolvida presencialmente e a de forma remota.

Como acontece a educação híbrida na educação básica?

É importante que exista um engajamento dos professores e demais profissionais da escola para a inserção das tecnologias na rotina dos alunos. Além de garantir a supervisão e a orientação necessárias, esse engajamento deve garantir o exercício das diretrizes e da competência da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Isso se dá, principalmente, no que diz respeito às habilidades socioemocionais, como a autogestão, o engajamento com os outros, a abertura ao novo e a resiliência emocional. Nessa parte do conteúdo, vamos entender melhor como a educação híbrida pode funcionar nas fases da educação básica.

Veja como ela pode ser uma aliada na formação dos alunos!

Educação infantil

Na Educação Infantil, o ensino híbrido garante a possibilidade dos professores oferecerem aulas personalizadas, que promovem o desenvolvimento de diferentes habilidades por meio de ferramentas tecnológicas.

Um bom exemplo é a Plataforma AZ de Aprendizagem. A solução da Conexia Educação adota metodologias inovadoras para que alunos do infantil ao pré-vestibular desenvolvam habilidades essenciais para os cidadãos do século XXI, em diferentes áreas do conhecimento.

Ensino fundamental e médio

A tecnologia no Ensino Fundamental, quando bem usada e planejada, pode ser uma importante aliada do acompanhamento que o professor faz do aprendizado dos alunos. É no Ensino Fundamental, por exemplo, que o projeto de vida dos alunos começa a se desenhar, o que acaba pedindo uma personalização ainda maior da aprendizagem.

Na educação híbrida, isso pode ser efetivado com a adoção do programa educacional My Life, por exemplo, uma poderosa ferramenta que se integra ao currículo dos alunos e conduz as turmas na construção do projeto de vida, desde os Anos Finais do Ensino Fundamental até o Novo Ensino Médio, fase na qual o projeto de vida se tornou obrigatório.

Quais são os benefícios da educação híbrida?

Deu para perceber que a implementação bem-sucedida da educação híbrida em uma escola demanda planejamento, certo? As mudanças vão muito além da aquisição de dispositivos ou da adoção de ferramentas digitais. Para entender um pouco mais da eficiência da educação híbrida, confira a seguir os seus principais benefícios para a formação dos alunos.

Ampliação do espaço de aprendizagem

Um dos maiores benefícios da educação híbrida está justamente na maneira como o aprendizado acontece. Os alunos se envolvem nas atividades, como as avaliações, ganham maior dinamismo e a jornada de conhecimento não fica restrita à sala de aula, combinando as instalações da escola com múltiplos espaços virtuais.

Autonomia dos alunos

O ambiente virtual privilegia a exploração do conhecimento de uma forma autônoma e criativa, abrindo a possibilidade dos alunos assistirem a videoaulas quantas vezes precisarem e criarem as próprias conexões com os assuntos vistos em sala de aula.

Essa aprendizagem autônoma estimula a formação de um aluno protagonista, capaz de buscar soluções para os problemas que surgem a seu redor.

Personalização

A personalização na educação parte do princípio de que cada aluno tem diferentes necessidades de aprendizado que, quando são reduzidas a um único esquema de ensino, não podem ser exploradas da melhor maneira possível.

A educação híbrida incentiva a personalização da aprendizagem, já que adota metodologias mais flexíveis, além de gerar dados relevantes que permitem aos professores buscarem maneiras de atender às particularidades das turmas e dos alunos.

Na educação híbrida, cabe aos educadores buscar as atividades que façam mais sentido para os alunos, dentro da realidade de cada turma e dos anseios que surgem em relação ao aprendizado. Como vimos, é importante que a seleção das tecnologias seja cuidadosa, para que a cultura digital esteja sempre a serviço das diretrizes e das competências da BNCC.

Antes de se despedir, que tal conhecer as soluções completas da Conexia Educação para os alunos do século XXI? Acesse nosso site e venha conferir!

Guia prático de como se preparar para o período de matrícula